Merkel e Hollande se dizem prontos para sanções mais duras contra a Rússia

0
250
STRALSUND, Alemanha, 10 Mai (Reuters) – A Alemanha e a França estão prontas para firmar sanções mais amplas contra a Rússia, se as eleições presidenciais ucranianas planejadas para 25 de maio forem prejudicadas, afirmaram neste sábado a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande.
Em comunicado conjunto, eles concordaram em adotar sanções mais duras contra a Rússia, que afetariam áreas como energia, defesa, serviços financeiros e engenharia, do que aquelas discutidas pelos líderes da União Europeia (UE) em março, em Bruxelas.
"Estaríamos prontos para adotar outras sanções contra a Rússia se as eleições de 25 de maio na Ucrânia fracassarem", disse Merkel em entrevista à imprensa, juntamente com Hollande, em Stralsund. Ela ressaltou, contudo, que a possível punição não seria "um fim em si mesma".
A Alemanha, que depende da Rússia para 40 por cento do seu suprimento de gás natural, tem sido vista como hesitante nas discussões para intensificar as sanções, proposta que tem a oposição de muitos alemães. Segundo a revista Stern, o crescimento do país cairia em 0,9 ponto percentual neste ano no caso de sanções mais duras.
As eleições de 25 de maio são para escolher o sucessor do presidente Viktor Yanukovich, o mandatário pró-Rússia derrubado por protestos nas ruas de Kiev. Depois da queda, Moscou anexou a região ucraniana da Crimeia, onde a maior parte da população é russa.
A resposta do Ocidente foi decretar sanções limitadas contra políticos e empresários russos vistos como envolvidos na crise ucraniana. Desde então, separatistas pró-Rússia têm desestabilizado o leste da Ucrânia, declarando repúblicas autônomas, o que o Ocidente vê como uma tentativa de Moscou de consolidar o domínio na região e prejudicar as eleições nacionais.
Merkel e Hollande fizeram um chamado para que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, intervenha para garantir que as eleições ocorram em toda a Ucrânia. Merkel disse que havia sido encorajadora a iniciativa de Putin em pedir para os militantes suspenderem um referendo sobre autonomia marcado para este domingo.
"Mas o presidente russo tem que mandar mais sinais como esse", declarou a chanceler.
– REUTERS

Leave a reply

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close